Mais Eventos

BARTOLOMEU COSTA CABRAL APRESENTA PEÇA QUE TERÁ VENDA EXCLUSIVA NA LOJA DA CASA DA ARQUITECTURA / 2 JUNHO, 16H00

A Casa da Arquitectura – Centro Português de Arquitectura acolhe no próximo sábado, dia 2 de junho, às 16h00, a apresentação de uma peça de mobiliário desenhada pelo arquiteto Bartolomeu Costa Cabral para o Projecto Martins e que durante um ano será comercializada em exclusivo na Loja da Casa da Arquitectura, em Matosinhos.

 

Este momento serve também de mote para a comemoração dos recentes 90 anos de Bartolomeu Costa Cabral, cujo percurso na arquitetura portuguesa inclui obras emblemáticas como o projeto do Bloco das Águas Livres (1950-53), em Lisboa, assinado em coautoria com Nuno Teotónio Pereira, o projeto do Pólo 1 e Biblioteca Central da Universidade da Beira Interior (1973-83), o Museu dos Lanifícios, na Covilhã, ou a Casa em Taipa, em Beja (2006-08).

 

A segunda parte do programa será à conversa com o arquiteto, os convidados e o público presente na sala. Entre os nomes confirmados estão vários arquitetos, entre eles Gonçalo Byrne, Madalena Cunha Matos, Alexandre Alves Costa, os artistas plásticos Teresa Pavão e Rui Sanches, proprietários de uma casa desenhada por Bartolomeu Costa Cabral, Helena Veludo, Paulo Providência, arquiteto e coautor do livro “Bartolomeu Costa Cabral. 18 obras”, Pedro Botelho e Rosário Beija, João Rodeia, Teresa Pavão, José Manuel Pedreirinho, presidente da Ordem dos Arquitectos, Mariana Couto, estudiosa da obra do Bartolomeu Costa Cabral, José Miguel Rodrigues e Maria Manuel Oliveira, autora do Projecto Martins.

 

Duas peças que representam fases importantes da vida profissional do arquiteto vão estar em exposição durante a apresentação, nomeadamente, uma cadeira que desenhou para o edifício Bloco das Águas Livres e um cadeirão criado para a Universidade da Beira Interior.

 

Nuno Miguel Borges, editor do Projecto Martins, convidou Bartolomeu Costa Cabral para desenhar um móvel que durante um ano será vendido em exclusivo na Casa da Arquitectura. Desde o edifício do Bloco das Águas Livres, classificado como monumento de interesse público, sempre desenhou todos os objetos necessários aos seus projetos, uma vez que na época não havia quase nada produzido.

 

“Tinha uma enorme vontade de trabalhar com o Bartolomeu Costa Cabral que aceitou o meu convite com entusiasmo. Desde o início pensei que seria a pessoa indicada para desenhar a estante que já há algum tempo queria ter no Projecto Martins”, conta Nuno Miguel Borges.

 

Para Bartolomeu Costa Cabral, “este trabalho foi em primeiro lugar responder a uma solicitação. Depois existiram opções a ter em conta. No mundo do desenho dos móveis estante existem poucos condicionamentos, pode-se fazer o que se quiser”. A Cacifo é uma estante de dimensões contidas e por isso bastante fácil de por em qualquer lugar. “Tem três gavetas, mas o resto do móvel é todo aberto. A ideia foi criar compartimentos sem portas a que chamei cacifos. Em cima, as prateleiras não têm costas pois o Nuno Miguel Borges pediu-me alguma transparência e poder ser utilizada com a possibilidade de se verem as costas”.

 

Segundo Nuno Sampaio, diretor executivo da Casa da Arquitectura, “esta é uma oportunidade de valorizar Bartolomeu Costa Cabral por toda a sua trajetória. A excelência do desenho torna esta peça exclusiva, de grande sentido estético e afetivo. A Casa da Arquitectura homenageia assim o seu autor”.

 

A estante Cacifo é fabricada em madeira de afizélia e com as gavetas e o pé em sucupira com acabamento natural. O sentido do veio da madeira foi estudado para que exista uma harmonia em toda a peça e possa ser admirada de qualquer ângulo.

 

“Achei que era mais engraçado juntar duas madeiras”, explica Bartolomeu Costa Cabral. “É uma coisa que eu tenho feito ao longo da vida, como no Bloco das Águas Livres ou na Universidade da Covilhã. Gosto de juntar madeiras”.

 

Francisco Martins, administrador e responsável de produção da Paularte, assinala que “as gavetas não têm corrediças, deslizam diretamente na madeira”. Outro aspeto relevante foi “o uso dos ferros antigos da Tupia e a utilização de técnicas tradicionais de trabalhar a madeira para fabricar o pé em madeira maciça, o que faz com que esta peça dê um enorme prazer a quem a fabrica”.

 

Excluindo os quatro parafusos utilizados para suportar o pé ao corpo, mais nenhuma ferragem é utilizada. “Numa época em que as ferragens são o maior investimento no desenvolvimento de uma peça e que obrigam as fábricas a estar constantemente atualizadas, esta opção de Bartolomeu Costa Cabral é singular” afirma, Francisco Martins.

 

 

Nome: Cacifo

Autor: Bartolomeu Costa Cabral

Dimensão: 135x119x35

Materiais: afizélia e sucupira

Preço: 940€

 

 

O Projecto Martins

O Projecto Martins da Paularte nasceu para desenvolver a produção de mobiliário de autor. Nuno Miguel Borges criou o projeto em 2007 e diversos arquitetos portugueses têm sido convidados para desenharem mobiliário para o projeto. Francisco Martins é o responsável pela produção. Martins é o nome da família proprietária da Paularte.