CICLO DE CONFERÊNCIAS: CONTENTOR E CONTEÚDO: INTERSEÇÕES ENTRE MUSEOLOGIA E ARQUITETURA_FLUP, 10 e 24 maio, 7 junho

Interseções entre Museologia e Arquitetura, organizado no âmbito do Doutoramento e Mestrado em Museologia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto 2012/2013.

LOCAL: 
Anfiteatro nobre da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Via Panorâmica, s/n, Porto

ORGANIZAÇÃO: Susana Rosmaninho, Miguel Tomé, FLUP

COM O APOIO INSTITUCIONAL DA CASA DA ARQUITECTURA

 

PROGRAMA :

10 de maio 2013
CENTROS E MUSEUS DE ARQUITETURA

Este ciclo de conferências pretende abordar a problemática da comunicação da arquitetura, refletindo mais especificamente na recente constituição de museus e centros de arquitetura, sua configuração institucional e a expressão arquitectónica. Em simultâneo, refletir sobre as problemáticas da mediação e comunicação da arquitetura e sobre o papel do museu na promoção do pensamento crítico e na construção da cidadania.

Esta questão torna-se pertinente se pensarmos que, apesar da crescente mediatização do tema, a arquitetura encontra ainda uma presença residual no mundo dos museus, quando confrontada com o protagonismo de algumas formas de arte contemporânea (mesmo em instituições que não estão vocacionados para a arte).

O objetivo será assim a apresentação, numa perspetiva autocrítica, das diferentes experiências daqueles que se confrontaram com este tema, ponto de partida para um debate, que se espera alargado, não só aos profissionais de arquitetura e museologia, mas também extensível ao público em geral.

(…) Museums are no longer just repositories, but rather sites of experience where the mind is often engaged as much as the eye. (…)” – Nicholas Serota em Experience or Interpretation

14.30h – 14.45h: Sessão de abertura
14.45h – 15.15h: Reflexões sobre a hipótese do Museu de Arquitetura (por Manuel Graça Dias)
15.15h – 15.45h: Casa da Arquitectura (por representante da ACA)
15.45h – 16.15h: A Fundação Marques da Silva e a cultura arquitetónica: oportunidades,
constrangimentos e perspetivas
(por Rui J. G. Ramos)
16.15h – 16.45h: Norte 41º – Centro de Arquitectura, criatividade e sustentabilidade (por José
Fernando Gonçalves)
16.45h – 17.00h: pausa para café
17.00h – 17.30h: CAAA Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura (por Maria Luís Neiva)
17.30h – 18.00h: Centro de Documentação da FAUP (por Manuel Mendes)
18.00h – 18.30h: Haverá Cultura Arquitetónica? (por André Tavares)

 


24 maio 2013
PROGRAMAÇÃO CULTURAL DE ARQUITETURA

Este ciclo de conferências pretende servir para motivar ou para dar pistas a quem tem poder de decisão nos museus ou noutras instituições culturais e educativas relativamente ao como pôr em prática pequenas (ou grandes) atividades de divulgação, curadoria, mediação, educação, no campo daArquitetura. Transforma-se assim este ciclo de conferências numa espécie de ação de formação: num tool-kit que permita que os agentes possam desenvolver eventos na área da Arquitetura.

De facto, nas últimas décadas, assistiu-se em Portugal a um crescente interesse pelos temas da Arquitetura e do Design, não só ao nível do registo autoral mas também no que se refere aos fenómenos de transformação Exposições/Mostras/Publicações de Arquitetura? É este um interesse isolado, efémero ou estaremos perante a fidelização de públicos mais abrangentes a uma Cultura Arquitetónica?

Esta questão torna-se pertinente se pensarmos que não existe uma política de exibição de Arquitetura quando confrontada com a presença que outras expressões da arte contemporânea têm no mundo dos museus (mesmo em museus que não estão vocacionados para a arte).

A outra vertente será a apresentação de instituições que desenvolvam trabalho nesta área da mediação e comunicação, aqui numa abordagem mais relacional que tente inclusivamente pensar nos públicos (os que existem, os que se pretende atingir, os que se pretende criar) – isto numa perspetiva de envolvimento social, de promoção do pensamento crítico, de contribuição para a construção da cidadania.

Qual o papel do Curador enquanto facilitador dessa aproximação à Arquitetura? Qual o futuro das Bienais/Trienais de Arquitetura? Serão elas as mais importantes iniciativas de divulgação e promoção de debate crítico? Qual o espaço para eventos de menor escala que funcionem como plataformas de experimentação e encontro interdisciplinar?

14.30h – 14.45h: Sessão de abertura
14.45h – 15.15h: Programa de Intervenção Urbana – A Sétima Colina – de Lisboa 94 Capital
Europeia da Cultura
(por Gonçalo Couceiro)
15.15h – 15.45h: Programa de Arquitetura e Cidade do Porto 2001 Capital Europeia da Cultura (por
Nuno Grande)
15.45h – 16.15h: Programa de Arte e Arquitetura de Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura
(por Gabriela Vaz Pinheiro)
16.15h – 16.45h: Experimentadesign: de 1999 ao futuro (por Guta Moura Guedes)
16.45h – 17.00h: pausa para café
17.00h – 18.00h: Trienal de Arquitectura de Lisboa – Close, Closer (por Manuel Henriques e Beatrice
Galilee)
18.00h – 18.30h: O futuro dos grandes eventos (por Jorge Figueira)

 

7 de junho 2013
CURADORIA EM ARQUITETURA

14.30h – 14.45h: Sessão de abertura
14.45h – 15.15h: Influx/ Metaflux – do shopping à Bienal de Veneza (por Luís Tavares Pereira)
15.15h – 15.45h: Devir Menor – Arquiteturas e práticas espaciais críticas na Ibero-América. Da curadoria em rede à montagem da exposição (por Inês Moreira)
15.45h – 16.15h: Archigram – Experimental Architecture 1961-1974. Um futuro permanente (por Pedro Jordão)
16.15h – 16.45h: Fernando Távora – modernidade permanente (por José António Bandeirinha)
16.45h – 17.00h: pausa para café
17.00h – 17.30h: Curadoria como processo: 3 exemplos (por Luís Santiago Baptista)
17.30h – 18.00h: Curadoria em arquitetura feita por não arquitetos (por Delfim Sardo)
18.00h – 18.30h: Espécies de espaços (por Diogo Seixas Lopes)
 

CRÉDITOS OA: para efeitos de admissão na Ordem dos Arquitectos, cada dia de conferências equivale a 2 CRÉDITOS de "Formação Opcional em Matérias de Arquitetetura"


ENTRADA LIVRE., medianta a lotação da sala