COLEÇÃO ARQUITETURA BRASILEIRA APRESENTADA PELA CASA DA ARQUITETURA NO BRASIL

MuBE . 29 março . São Paulo, Brasil

 

A Casa da Arquitectura – Centro Português de Arquitectura (CA) lançou no  dia 29 de março, às 15h, em São Paulo, Brasil, a “Coleção Arquitetura Brasileira”um vasto e inédito acervo de projetos, desenhos, maquetes e livros que contam a história da arquitetura moderna e contemporânea brasileira desde 1930 até a atualidade.

 

O lançamento da coleção aconteceu no MuBE – Museu Brasileiro de Escultura, contando com as intervenções do diretor executivo da CA, Nuno Sampaio, da diretora do MuBE, Flávia Velloso e dos curadores da Coleção, Guilherme Wisnik e Fernando Serapião.

 

O evento contou também com a participação de um conjunto de importantes personalidades e instituições brasileiras: o arquiteto Paulo Mendes da Rocha, o presidente do IAB/SP, Fernando Túlio Salva Rocha e o vice-diretor da FAUUSP, Ricardo Marques de Azevedo. Associam-se também ao evento Rosa Artigas, da Fundação Vilanova Artigas, Anna Carboncini, diretora técnica do Instituto Lina Bo e P. M. Bardi e Ciro Pirondi, representando a Casa Lúcio da Costa e a Fundação Oscar Niemeyer.

 

A “Coleção Arquitetura Brasileira” que integrará o acervo da Casa da Arquitectura, é composta por um conjunto de desenhos e maquetes de 70 projetos selecionados, de autores fundamentais para a compreensão da produção brasileira, sendo 20 deles integrantes do período moderno e 50 representantes contemporâneos.

 

A lista que está agora a ser iniciada reunirá por proposta dos comissários nomes como Lucio Costa, Oscar Niemeyer, Affonso Eduardo Reidy, MMM Roberto, Sergio Bernardes, Roberto Burle Marx, Vilanova Artigas, Lina Bo Bardi, Rino Levi, Severiano Mario Porto, João Filgueiras Lima (o Lelé), Marcos Acayaba e Paulo Mendes da Rocha. As novas gerações não foram esquecidas: a coleção estendendo-se até à contemporaneidade integrará também profissionais mais jovens, como, Brasil Arquitetura, Angelo Bucci, Andrade Morettin, MMBB, Metro Arquitetos, Grupo SP, e Carla Juaçaba, entre outros.

 

Além dos desenhos e maquetes, a Coleção contará ainda com um conjunto de 100 livros essenciais sobre o tema, que integrarão a biblioteca da CA.

 

A primeira coleção da Casa da Arquitectura é sobre arquitetura portuguesa e tem a coordenação científica de João Rodeia. Esta coleção coletiva dedicada à arquitetura brasileira, é a primeira com a totalidade de projetos não portugueses”, acrescenta Nuno Sampaio, Diretor Executivo da Instituição.

 

Trata-se de uma coleção nunca reunida antes que abre a possibilidade de aproximar o público e pesquisadores da produção de desenhos e maquetes”, avalia Fernando Serapião.

 

 “Além dos 70 projetos de arquitetura, pensamos em estender a coleção com projetos urbanísticos, desde desenhos de cidades, como Brasília, até trabalhos importantíssimos, como o Parque do Flamengo, de Reidy e Burle Marz”.

 

Está previsto que esta coleção seja a base de uma futura exposição, comissariada pelos mesmos curadores, e que irá abrir na Casa da Arquitectura em 2018.

 

 

—–

 

GUILHERME WISNIK

ARQUITETO . COMISSÁRIO

 

Guilherme Wisnik (1972) é professor na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo em Regime de RDIDP. Editou o volume 54 da revista espanhola 2G (2010) sobre a obra de Vilanova Artigas, e publicou ensaios em livros como Brazil’s Modern Architecture (Phaidon, 2004), Álvaro Siza Modern Redux (Hatje Cantz, 2008) e O Desejo da Forma (Berlin Akademie der Künste, 2010). Foi o Curador Geral da 10a Bienal de Arquitetura de São Paulo (2013).

 

 

FERNANDO SERAPIÃO

ARQUITETO . COMISSÁRIO

 

Fernando Serapião (1971) é fundador e editor da Monolito, publicada em São Paulo desde 2011 e premiada pela 10a Bienal Iberoamericana de Arquitectura (2016). Escreveu mais de uma dezena de livros, como Guia de Arquitetura de São Paulo (Viana & Mosley Editora, 2005), que recebeu o 7o Prêmio Jovens Arquitetos (Museu da Casa Brasileira/ Instituto de Arquitetos do Brasil/São Paulo), e A Arquitetura de Croce, Aflalo & Gasperini (Editora Paralaxe, 2011), ganhador do prêmio Jabuti. Foi responsável pelas curadorias das exposições “Nove Novos”, no Museu de Arquitetura de Frankfurt, e “10+10”, em Viena, no Architekturzentrum Wien.