Mais Eventos

CONFERÊNCIA “DA COLEÇÃO À EXPOSIÇÃO” ACONTECE HOJE ÀS 16H00 NA FAU-USP

O diretor executivo da Casa da Arquitectura – Centro Português de Arquitectura, Nuno Sampaio, e os curadores da exposição Infinito Vão – 90 anos de arquitetura brasileira, Guilherme Wisnik e Fernando Serapião, dão hoje, dia 8, às 16h00, uma conferência na FAU USP São Paulo sob o tema “Da Coleção à Exposição”.

 

A Coleção Brasil da Casa da Arquitectura, a primeira constituída exclusivamente por projetos não portugueses, com curadoria de Fernando Serapião e Guilherme Wisnik, mostra a diversidade da produção arquitetónica da modernidade à contemporaneidade ao longo de 90 anos de arquitetura brasileira, contando com um riquíssimo acervo material original de 103 projetos, com mais de 4.700 peças físicas e 45.500 peças digitais, entre textos, desenhos e maquetes, generosamente entregues por mais de 150 doadores.

 

A esta coleção acrescem ainda 150 livros e publicações da Casa da Arquitectura e um conjunto de documentos digitais e fac-símiles autorizados e entregues por distintas instituições governamentais, de ensino e culturais, públicas e privadas, que permitem a constituição de um universo documental único, capaz de gerar novas leituras sobre a produção arquitetónica brasileira da década de 1920 até à atualidade.

 

“Infinito Vão – 90 Anos de Arquitetura Brasileira” é o nome, inspirado na música e na voz de Gilberto Gil, da exposição que a Casa da Arquitectura (CA) – Centro Português de Arquitectura inaugurou no dia 28 de setembro, com curadoria de Fernando Serapião e Guilherme Wisnik, e que é acompanhada por uma extensa programação paralela, com cocuradoria de Nuno Sampaio, diretor executivo da CA, que acontecerá até abril de 2019 e contempla atividades em Portugal e no Brasil.

 

O INFINITO VÃO, constituído por um amplo conjunto de iniciativas – uma exposição, uma publicação, uma plataforma digital de investigação e um vasto programa de atividades levadas a cabo nos dois países, Portugal e Brasil – pretende através de cruzamentos com a música, o cinema e a literatura dar a conhecer a arquitetura brasileira a novos e mais generalizados públicos de distintas geografias internacionais.