Mais Eventos

DEBATE “HABITAÇÃO E A NOVA CIDADE” / 23 DE JULHO, 18H00, CASA DA ARQUITECTURA

“Habitação e a Nova Cidade” é o tema do debate que na próxima sexta-feira, 23 de julho, reúne na Casa da Arquitectura a Secretária de Estado da Habitação, Marina Gonçalves, o Vereador dos Pelouros do Urbanismo, Espaço Público e Património da Câmara Municipal do Porto, Pedro Baganha, e os arquitetos Aitor Varea Oro e Inês Lobo, com moderação de Nuno Sampaio.

 

A entrada no debate é gratuita, com levantamento de bilhete 30 minutos antes na bilheteira da Casa, com lotação condicionada às recomendações da Direção-geral da Saúde. O debate vai ser Transmitido em direto na página de Facebook da Casa da Arquitectura.

 

A cidade encontra-se em acelerada transformação. É hoje urgente entender as possibilidades que se abrem nas vivências urbanas e no modo de fazer cidade, perante a oportunidade de reflexão criada pela pandemia.

Qual a importância da habitação na cidade contemporânea pós-pandemia?
Garantir o direito à habitação é uma responsabilidade do Estado e para tal é preciso discutir e desenvolver políticas de habitação robusta – priorizando a reflexão e o desenvolvimento do parque público de habitação, o antigo e o novo – da cidade pós-pandemia e direcionadas para responder às necessidades, novas e transversais das famílias.

 

Biografias

Marina Gonçalves. Nasceu a 23 de abril de 1988 e é natural do concelho de Caminha.
Licenciou-se em Direito, pela Faculdade de Direito da Universidade do Porto, instituição onde obteve também o grau de Mestre em Direito Administrativo.
Exerceu a atividade de advocacia, primeiro como advogada-estagiária e depois como advogada, até novembro de 2015, momento em que iniciou funções como assessora do gabinete do Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares. No período que antecedeu o início de funções na Secretaria de Estado, exerceu também funções como assessora do Grupo Parlamentar do Partido Socialista.
Entre março de 2018 e outubro de 2019 desempenhou funções de Chefe do Gabinete, primeiro no Gabinete do Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares e depois no Gabinete do Ministro das Infraestruturas e da Habitação.
Entre outubro de 2019 e setembro de 2020 desempenhou funções como deputada pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo, integrando, como efetiva, a Comissão de Trabalho e Segurança Social e a Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar à Atuação do Estado na Atribuição de Apoios na sequência dos incêndios de 2017 na zona do Pinhal Interior, e, como suplente, a Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação e a Comissão de Orçamento e Finanças.
Foi também vice-presidente do Grupo Parlamentar do Partido Socialista, onde acompanhou as áreas da habitação, do trabalho e da segurança social.

 

Pedro Baganha. Natural do Porto, 49 anos. Licenciatura (1996) e mestrado (2011) em arquitetura pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto; Doutorando na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto tendo frequentando o Programa de Doutoramento em Arquitectura em 2013.
Atualmente, é Administrador da Sociedade Porto Vivo, SRU, EM, S.A. e Vereador dos Pelouros do Urbanismo, Espaço Público e Património.
Até outubro de 2017 foi administrador executivo da GO Porto, EM – Gestão e Obras do Porto.
Foi adjunto do Vereador do Urbanismo na Câmara Municipal do Porto entre 2013 e 2016.
Entre 2011 e 2013 foi docente no curso de Arquitectura e Paisagismo numa escola privada da cidade de Coimbra.
Exerceu a profissão liberal entre 1996 e 2013, coordenando equipas projetistas
multidisciplinares na elaboração, desenvolvimento e gestão integral de projetos urbanísticos, habitacionais, de serviços e industriais. Integrou ainda, o projeto do Metro do Porto, tendo coordenado o respetivo projeto de inserção urbana em Vila Nova de Gaia entre 1999 e 2009.

 

Aitor Varea Oro é arquiteto e com o seu trabalho visa a democratização do acesso a uma habitação condigna. A sua prática profissional, em Espanha e Portugal, promove a articulação entre a administração pública, a academia e a sociedade civil para criar uma linguagem comum e encurtar as distâncias entre quem tem o problema e quem tem a solução. A sua maior aprendizagem até hoje é a necessidade de trabalhar com tod@s e de falar, especialmente, para quem ainda não está sensibilizado com o problema. Investigador no MDT-CEAU FAUP e coordenador do programa Habitar Porto, é membro da Equipa de Coordenação do programa Bairros Saudáveis e responsável pela Estratégia Local de Habitação de Vila Nova de Famalicão. Colabora, ainda, com o Município do Porto, na criação de uma estratégia municipal de reabilitação das ilhas.

 

Inês Lobo. Lisboa, 1966. Arquiteta pela Escola Superior de Belas Artes em 1989. Desde então leciona Projeto de arquitetura, sendo atualmente professora convidada nos cursos de arquitetura da Universidade Autónoma de Lisboa e da Universidade de Lisboa.
Iniciou o seu percurso profissional em 1989, tendo fundado o seu próprio escritório, Inês Lobo, Arquitectos, em 2002.
É regularmente convidada para palestras em seminários e conferências, em Portugal e no estrangeiro. É também presença regular em júris de prémios de arquitetura internacional e nacional, como o prémio FAD, 2012 ou o prémio Secil, 2006.
Foi participante convidada nas Bienais de Veneza de 2016, “Reporting from the front”, e 2018, “Freespace”.
Vem desenvolvendo igualmente atividade como curadora e comissária de exposições de arquitetura, tendo sido a responsável pela representação portuguesa na Bienal de Veneza 2012, e a delegada portuguesa na VIII BIAU – Bienal Iberoamericana de Arquitectura e Urbanismo.
Em 1999 recebeu o título de Oficial da Ordem do Mérito pelo Presidente da República; em 2013, o prémio “Mulheres criadoras da cultura” atribuído pelo governo português; e, em 2014, o Prémio Internacional ArcVision – Mulheres e Arquitetura.

 

Nuno Sampaio (1974), arquiteto no Porto e mestre em “Arquitetura de Grande Escala” na Escola de Arquitetura de Barcelona, desenvolve atividade profissional como arquiteto desde 2000 no atelier “Nuno Sampaio – Arquitetos”.
Atualmente e desde 2014 é o Diretor-Executivo da Casa da Arquitectura, onde assume a direção e curadoria da instituição que é hoje o Centro Português de Arquitetura.
Foi membro do Conselho Diretivo Nacional da Ordem dos Arquitectos de 2008 a 2010. Foi presidente da “Estratégia Urbana” – Laboratório de Inovação de Arquitetura e Cidade, e Vice-presidente da Associação “Trienal da Arquitectura de Lisboa” de 2010 a 2021.
Paralelamente, foi júri em diversos concursos de arquitetura onde se destacam os Prémios FAD 2013.