Eventos

Mais Eventos

LANÇAMENTO DO LIVRO DO 5º FIPA E CONFERÊNCIA “LUCIO COSTA E A CONSTRUÇÃO DE UM PATRIMÓNIO NACIONAL”

A Casa da Arquitectura – Centro Português de Arquitectura acolhe no próximo dia 22 de fevereiro, às 21h30, o lançamento do livro do 5º FIPA – Fórum Internacional do Património Brasil, momento após o qual será anunciada a 6ª edição do evento. O evento conta com a presença de Alice Tavares e Aníbal Costa da Universidade de Aveiro, Paula Silva, diretora da DGPC e dos brasileiros Maria Rita Amoroso do CAU/SP-IAB-Núcleo Campinas e Katia Bogea do IPHAN.

 

Pelas 22h00, Andrey Schlee apresenta “Lucio Costa e a Construção de um Património Nacional”, uma palestra que percorre a biografia de Lucio Costa (1902-1998) e destaca os momentos em que o arquiteto e urbanista, atuando como um “senhor da memória”, contribuiu de forma inequívoca para a construção do Brasil contemporâneo e para a preservação de um determinado Património Nacional. A entrada é livre.

 

Alice Tavares

Arquiteta (FAUP, 1993), investigadora no RISCO – Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Aveiro (UA), Professora Assistente convidada no Departamento de Engenharia Civil da UA (Curso de Reabilitação do Património), desenvolve investigação de Pós-doutoramento apoiado pela FCT na vertente do Património de Portugal e do Brasil. Doutorou-se em Engenharia Civil na Universidade de Aveiro (UA) em 2015. É Orientadora e coorientadora de alunos de mestrado e doutoramento de Arquitetura e de Engenharia Civil. É editora e autora de livros, capítulos de livros e artigos no âmbito da Reabilitação do Património e da construção em Terra, colaborando como investigadora em projetos de investigação nacionais e internacionais e com equipas técnicas da UA de inspeção de edifícios, monumentos e estruturas urbanas.

Atualmente é Vogal do Conselho Diretivo Nacional da Ordem dos Arquitetos, é Presidente da Direção da Associação Portuguesa para a Reabilitação Urbana e Proteção do Património (APRUPP), é Presidente do CICOP.Net Portugal (Florença, Itália). É investigadora nos projetos Mortars for early 20th century building conservation – Compatibility and Sustainability e SafEarth: Seismic protection of earthen construction heritage e na COST Action TD1406 – Innovation in Intelligent Management of Heritage Buildings.

 

Andrey Rosenthal Schlee

Arquiteto e urbanista; mestre e doutor em teoria, história e crítica da arquitetura; professor titular da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília e, desde 2011, Diretor do Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Brasil.

 

Aníbal Costa

Professor Catedrático da Universidade de Aveiro. Licenciado em Engenharia Civil pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP); Doutor e Agregado em Engenharia Civil pela FEUP. Membro do Conselho Permanente do Conselho Superior de Obras Públicas.

Membro da Direção do CICOP-Net de Portugal. Especialista em Estruturas e Membro Conselheiro da Ordem dos Engenheiros. Editor de 18 livros e revistas com publicação nacional e internacional, autor de 80 capítulos de livros nacionais e internacionais, 96 artigos em revistas internacionais, 48 em revistas nacionais e mais de 500 artigos em conferências nacionais e internacionais. É orientador de inúmeras teses de Doutoramento e Mestrado.

Em parceria com a Direção Regional da Cultura – Norte acompanhou as intervenções de reabilitação e reforço estrutural de vários monumentos que integram o património nacional. Tem trabalhado em vários projetos de colaboração com o tecido industrial procurando desenvolver técnicas de reparação e reforço de estruturas existentes, tendo essa colaboração originado mais de 500 relatórios técnicos. Esteve ligado a centenas de projetos de Reabilitação.

 

Maria Rita Amoroso

Arquiteta urbanista, doutorada em Arquitetura, Tecnologia e Cidade pela Universidade de Campinas UNICAMP-SP.  Investigadora no curso de Pós Doutoramento na vertente  do  Património do Brasil e Portugal na Universidade de Aveiro (UA). Coordenadora da Comissão Especial de Património Cultural  CPC- CAU/SP (Conselho de Arquitetura e Urbanismo). Coordenadora Adjunta da Comissão CT UIA –CAU/SP  (Conselho de Arquitetura e Urbanismo).

Coordenadora geral no Brasil – Fórum Internacional de Património Arquitetónico Brasil /Portugal. Vice Presidente do  CICOP.NET /BRASIL (Florença ,Itália). Diretora IAB-Núcleo Campinas–SP. Conselheira do CONDEPACC – Conselho do Património Cultural -Campinas/SP. Conselheira Titular do CMDU – Conselho de Desenvolvimento Urbano -Campinas/SP.

 

Paula Silva

Diretora-Geral do Património Cultural (DGPC). Licenciada em Arquitetura pela Escola Superior de Belas Artes do Porto e mestre em Arqueologia pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, foi diretora regional do Porto do ex-Instituto Português do Património Arquitetónico (IPPAR), de 2006 a 2007, e diretora de Bens Culturais da Direção Regional de Cultura do Norte, de 2008 a 2009, e, posteriormente, diretora Regional da Cultura do Norte, de 2009 a 2013. Antes de iniciar as atuais funções, chefiava a Divisão Municipal de Museus e Património Cultural da Câmara Municipal do Porto.

 

Katia Bogea

Nascida em Lagarto (SE), é graduada em História pela Universidade Federal do Maranhão (1984) e especialista em historiografia Brasileira e Regional pela

Universidade de São Paulo (1988). Desde novembro de 1979 radicou-se no Maranhão, atuando exclusivamente em atividades na área do património cultural, ao entrar como estagiária em 1980 na recém-criada Superintendência Regional do Iphan, onde dedicando toda a sua vida profissional à pesquisa do património maranhense e ao trabalho de preservação e proteção do Centro Histórico de São Luís e Alcântara. Ocupou o cargo de Superintendente do Iphan no Maranhão no período de 2003 a 2015. Durante sua gestão, juntamente com a equipe técnica da instituição, articulou o PAC Cidades Históricas junto à Prefeitura de São Luís. Na área do património imaterial realizou o registo do Tambor de Crioula e do Complexo Cultural do Bumba Meu Boi.

Desde 13 de junho de 2016 ocupa o cargo de presidente do Iphan, sendo a primeira ex-superintendente a chegar à presidência da instituição em 80 anos. Seu trabalho à frente do Iphan vem fortalecendo o diálogo institucional e constituindo uma rede de parcerias em torno da Preservação do Património Cultural Brasileiro e do fortalecimento do próprio instituto frente aos riscos de colapso por decorrência de falta de pessoal e de recursos.