NOVOS ACERVOS E EXPOSIÇÃO SOUTO DE MOURA MARCARAM 2019 NA CASA DA ARQUITECTURA

O ano que agora termina foi, para a Casa da Arquitectura, de intensa programação marcado pela chegada de vários acervos de arquitetos portugueses ao Arquivo da Casa e pela inauguração da primeira grande exposição monográfica da instituição, dedicada a Eduardo Souto de Moura.

 

Depois da arquitetura brasileira, cuja exposição “Infinito Vão – 90 Anos de Arquitetura Brasileira” dominou a programação o ano passado, mobilizando mais de 33 mil pessoas em Portugal e no Brasil, em 2019 foi a arquitetura e os arquitetos portugueses que marcaram a agenda, com um conjunto de integrações de acervos no Arquivo da Casa.

 

Seguindo-se a Pedro Ramalho no ano passado, este ano as doações vieram da dupla Francisco Melo e Jorge Gigante, do arquiteto lisboeta Gonçalo Byrne e do depósito do acervo de 40 anos de produção arquitetónica de Eduardo Souto de Moura, do qual foi extraída a Exposição “Memória, Projectos, Obras”, com curadoria de Francisco Dal Co e Nuno Graça Moura.

 

A inauguração da primeira exposição monográfica da Casa da Arquitectura em outubro, foi um dos momentos mais marcantes do ano que agora termina, tendo sido visitada, nos primeiros dois meses, por cerca de 11 mil pessoas.

 

Mas não foi o único. Ex-libris incontornável da arquitetura, o Open House Porto, na sua quinta edição, veio confirmar o enorme sucesso e popularidade de que goza junto da população do Porto, Vila Nova de Gaia e Matosinhos: este ano, o Open House Porto foi o mais visitado de sempre, com mais de 37 mil visitas aos 70 espaços que integraram o roteiro.

 

O ano de 2019 contou ainda com a Exposição “Orgânico Racional” do arquiteto Pedro Ramalho na Galeria da Casa e, em novembro, com a enorme festa que foi o aniversário da Casa, durante a qual foi atribuído o título de Associado Honorário da Casa ao arquiteto Eduardo Souto de Moura.

 

(Foto Its – Ivo Tavares Studio)