PARLAMENTO APROVA VOTO DE CONGRATULAÇÃO PELA DOAÇÃO DO ACERVO DE PAULO MENDES DA ROCHA À CASA DA ARQUITECTURA

A Assembleia da República aprovou por unanimidade o voto de congratulação apresentado pelo Partido Socialista (PS) pela doação e incorporação do acervo de Paulo Mendes da Rocha à Casa da Arquitectura (CA) – Centro Português de Arquitectura, em Matosinhos, “reconhecendo a importância desta instituição no tratamento, arquivo e divulgação do património arquitetónico”.

 

Arquiteto, urbanista e professor de 91 anos, Paulo Mendes Rocha nasceu em Vitória e fez a sua formação académica na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo.

 

Em 1961, graças à obra do Ginásio do Clube Atlético Paulistano, conquista o “Grande Prémio Presidência da República” na 6ª Bienal Internacional de São Paulo, feito que o levou a integrar a designada “Escola Paulista”. A década de 80 e 90 é marcada por uma nova fase de reconhecimento público do seu trabalho, para a qual contribuíram o “Restauro da Pinacoteca do Estado de São Paulo” e o “Centro Cultural da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo”.

 

Em 2006, após um período de intensificação do seu reconhecimento internacional, é galardoado com o “Prémio Pritzker”, a maior condecoração mundial entre arquitetos, a que se seguem, em 2016, o “Leão de Ouro na Bienal de Arquitetura de Veneza” e o “Prémio Imperial do Japão”.

 

Ao escolher o Centro Português de Arquitetura como destino do seu acervo, “o doador também transmite a Matosinhos, ao País e ao Mundo, uma mensagem de confiança em relação à forma como a sua obra será cuidada, tratada e divulgada”, considera a proposta do Partido Socialista, relembrando que a CA, “instituição sem fins lucrativos, inaugurada em 2017, dedicada, exclusivamente, à arquitetura, alia três importantes valências: arquivo, tratamento e exposição. Importa salientar que beneficia de condições físicas de exceção, já que, graças ao apoio da Câmara Municipal de Matosinhos e celebração de um contrato de comodato, esta encontra-se instalada numa área dedicada com 5.000 m2 (antigo edifício da “Real Vinícola”).”

 

A doação engloba todo o material produzido durante a vida profissional do arquiteto, ou seja, cerca de 8.800 itens, relativos a mais de 320 projetos (6.300 desenhos analógicos, 3.000 fotografias e várias maquetes). Este voto de congratulação reconhece ainda tratar-se de “um património muito valioso que, indubitavelmente, contribuirá para o reforço da notoriedade e excelência internacional de Portugal.”

 

A Casa da Arquitectura agradece o reconhecimento do Parlamento português sobre o trabalho que a instituição tem feito e, muito particularmente, à generosidade do arquiteto Paulo Mendes da Rocha e a sua preocupação com as gerações futuras.

 

O Projeto de Voto n.º 316/XIV/2.ª de congratulação pela doação do acervo de Paulo Mendes da Rocha à Casa da Arquitectura (CA) – Centro Português de Arquitectura foi apresentado pelos deputados e deputadas Pedro de Sousa, Rosário Gambôa, José Luís Carneiro, Tiago Barbosa Ribeiro, Alexandre Quintanilha, José Magalhães, Sara Velez, Bacelar Vasconcelos, Cristina Sousa, José Manuel Carpinteira, Paulo Porto, Sofia Araújo, Pedro Cegonho, Carlos Brás, Carla Sousa, Mara Coelho, Constança Urbano de Sousa, Eduardo Barroco de Melo, Hugo Carvalho, Lúcia Araújo Silva, Pedro Delgado Alves.