Mais Eventos

SEMINÁRIO “ARQUITETURA EM DIÁLOGO: PORTUGAL E BRASIL” DEBATE TRAÇOS DISTINTIVOS DA ARQUITETURA DOS DOIS PAÍSES

A partir de temas sugeridos pela Exposição “Infinito Vão – 90 Anos de Arquitetura Brasileira”, o Seminário “Arquitetura em Diálogo: Portugal e Brasil” convida um conjunto de 14 arquitetos de ambas as nacionalidades a debater, ao longo do dia 23 de fevereiro, os traços distintivos da nova produção arquitetónica cá e no Brasil e em que medida estes se aproximam e se afastam.

 

Partindo de abordagens como programa, técnica, infraestrutura e herança cultural, o seminário fará um balanço do estado atual da arquitetura nesses dois países irmãos, separados pelo Atlântico e por dinâmicas culturais muito próprias.

 

O bilhete custa 8 euros com entrada na exposição incluída. Estudantes têm desconto de 50%. INSCRIÇÕES AQUI.

Os bilhetes podem ser levantados na bilheteira da Casa da Arquitectura a partir de dia 20 ou no próprio dia, a partir das 09h00.

 

 

23 FEV, 10h00
Conversa
PROGRAMA E INVENÇÃO
Angelo Bucci, SPBR Arquitetos (BR) e
Nuno Brandão Costa, Brandão Costa Arquitectos (PT)
com moderação de João Paulo Rapagão (PT)
Tratar da relação entre arquitetura e programa. De que modo os programas são incentivadores de novos espaços? Ou, ao contrário, são restrições que impedem experimentações poéticas e formais desejadas?

 

23 FEV, 11h30
Conversa
INDUSTRIALIZAÇÃO E FLEXIBILIDADE
Marcelo Morettin, Andrade Morettin Arquitetos (BR),
Luciano de Andrades, MAPA Arquitetos (BR) e
Francisco Vieira de Campos e Cristina Guedes, Menos é Mais Arquitectos (PT)
com moderação de Inês Moreira (PT)
Novas perspetivas de industrialização de componentes e canteiros de obra flexíveis abrem perspetivas de construções ágeis e leves. Há que se pensar a arquitetura que decorre dessa nova situação, em contraste com aquela feita de betão armado e moldado in loco, que caracterizou o período “heróico” da arquitetura brasileira.

 

23 FEV, 14h30
Conversa
ARQUITETURA COMO INFRAESTRUTURA
Carlos Alberto Maciel, Arquitetos Associados (BR) e
Alexandre Delijaicov, Laboratório de Projeto da FAUUSP (BR)
com moderação de Luís Santiago Baptista (PT)
Pensar a relação entre arquitetura e infraestrutura, notando de que modo o projeto do edifício pode transcender a escala objetual em direção a um raciocínio sistémico que tenha impacto na escala urbana.

 

23 FEV, 16h00
Conversa
O LEGADO DA ESCOLA PAULISTA HOJE?
Martin Corullon, Metro Arquitetos Associados (BR),
Marta Moreira, MMBB Arquitetos (BR) e
Álvaro Puntoni, GrupoSP (BR)
com moderação de Jorge Figueira (PT)
De que modo a redução das novas gerações em São Paulo é herdeira da chamada “Escola Paulista” dos anos 1960 e 70? O que mudou dos pontos de vista técnico, social e ideológico? O que é possível (e desejável) conservar, e o que é preciso mudar?

 

 

BIOGRAFIAS 

Alexandre Delijaicov. Arquiteto efetivo da Prefeitura do Município de São Paulo. Professor do Departamento de Projeto da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP). Coordenador do Laboratório de Projeto (LabProj FAUUSP): grupo de pesquisa em projeto de arquitetura de infraestruturas urbanas fluviais (grupo metrópole fluvial – GMF) e grupo de pesquisa em projeto de arquitetura de equipamentos públicos (GEP). Mestrado na FAUUSP em 1998: “Tietê, os rios e o desenho da cidade”. Doutorado na FAUUSP em 2005: “São Paulo, metrópole fluvial”. Conceito dos projetos das “Praças de Equipamentos Sociais” (PES) em 1992, e dos “Centros Educacionais Unificados” (CEU) em 2001, no Departamento de Edificações (EDIF) da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB) da Prefeitura do Município de São Paulo (PMSP). Trabalhou como estagiário e arquiteto no escritório Paulo Mendes da Rocha Arquitetos Associados de 1982 a 1992.

 

Alvaro Puntoni. Arquiteto e urbanista (1987), mestre (1999) e doutor pela FAU-USP (2005). Professor de projeto desde 1990, atualmente leciona na FAU-USP (desde 2001) e na Escola da Cidade (desde 2002), da qual é sócio fundador e Coordenador do Conselho Escola e do Curso de Especialização (latu senso) “América: Geografia, cidade e Arquitetura”. Trabalhou com Ângelo Bucci de 1987 até 1996 e depois de 2002 até 2004 quando fundaram o SPBR arquitetos. Desde 2004 mantêm o escritório gruposp arquitetos, em São Paulo. (www.gruposp.arq.br).

Ganhou diversos concursos nacionais e internacionais dos quais se destacam: 1º premio no Concurso Nacional para o Pavilhão do Brasil na Expo’92 em Sevilha (1991); 1º premio do Concurso Nacional de Idéias do Memorial à República em Piracicaba (2002), ambos associado ao arquiteto Ângelo Bucci; 1º premio do Concurso para a nova Sede do SEBRAE em Brasília, associado com o arquiteto Luciano Margotto (2008). 1º Premio do Concurso para  a nova unidade do SESC em Limeira (2017).  Finalista do concurso House in Luanda da Trienal de Lisboa (2010). Recebeu vários prémios, que incluem o Prémio Jovens Arquitetos, em 2004, promovido pelo Instituto de Arquitetos de São Paulo pelo Museu do Ouro, em Sabará anexo e o Prêmio APCA 2010, da Associação Paulista de Críticos de Arte para o melhor trabalho de arquitetura no Brasil em 2010, com a nova sede em Brasília SEBRAE. Premio Joven Generación Latinoamericana na XIII Bienal Internacional de Arquitetura de Buenos Aires em 2011 e Premio Panorama Obras da VII Bienal Ibero-americana de Arquitetura e Urbanismo com a sede do SEBRAE e Edifício Simpatia. Em 2014 foi nominado para o premio MCHAP Mies Crow Hall America Prizes.

Participou como expositor em diversas mostras e bienais de arquitetura dentre as quais se destacam as exposições Encore Modern? Architectures brésiliennes 1928-2005 (Paris, 2005); “Coletivo – Arquitetura Paulista Contemporânea” (São Paulo, 2006; Rio de Janeiro e Zürich, 2007, Braunschweig, St. Louis e Lisboa, 2008 e Santiago 2009) e 16ª Biennale de Architettura de Veneza Free Spaces, em 2018. Participou em workshops entre os quais se destacam: Workshop Internazionale Topografia della Forma della Cittá em Favara – Italia em 2003; X Seminário Montevidéu, no Uruguai, em 2008; Concurso Escuela 2009 en la Universidad Mayor de Santiago, Santiago em 2009; Workshop Internazionale en Pescara, Italia em 2010; WWFAUM 2010 Architecture, territory and forces of nature na Universidad Mayor de Santiago em 2010; Laboratorio Ciudad de Quito na Facultad de Arquitectura, Design e Arte da Pontificia Universidad Católica do Ecuador em 2011; e Workshop Architettura Venezia WAVE 2013 na IUAV, Veneza, Italia.

Foi delegado do Brasil na IX BIAU – Bienal Ibero Americana de Arquitetura e Urbanismo que se realizou em Rosário, Argentina e curador adjunto da X BIAU Bienal l Ibero-americana de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo em 2016.

 

Angelo Bucci. Arquiteto e professor. Há mais de 25 anos, compartilha seu tempo entre as atividades profissional e acadêmica. Essa atuação paralela acabou por definir a abordagem que imprime aos projetos, em que as demandas profissionais são tomadas como oportunidades para a investigação de novas possibilidades. É fundador e diretor do SPBR desde 2003. É professor da FAUUSP desde 2001 e também professor visitante em escolas na Argentina, Chile, Equador, Itália, Suíça [ETH Zurique, 2013-14] e Estados Unidos [ASU, 2005; Berkeley, 2006; GSD Harvard, 2008; UT Austin, 2010; Yale, 2013 e MIT 2008 e 2016. Em 2011 foi nomeado membro honorário da Instituto de Arquitetos Americanos [HF AIA]. Seu trabalho tem sido amplamente divulgado internacionalmente através de publicações, conferências e exposições.

 

Carlos Alberto Maciel. Arquiteto, mestre e doutor em Teoria e Prática de Projeto na Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais, onde leciona projeto. É sócio-fundador do Arquitetos Associados, um estúdio colaborativo com sede em Belo Horizonte, Brasil, com um forte trabalho no desenho de espaços públicos e instalações culturais, incluindo várias galerias de arte no Centro de Arte Contemporânea Inhotim. A partir desse conjunto de trabalhos, eles receberam importantes prêmios brasileiros e internacionais, como três indicações para o Prêmio de Arquitetura MCHAP – Mies Crown Hall Americas Prize, e três prêmios da BIAU – Bienal Iberoamericana de Arquitetura e Urbanismo. Suas pesquisas dizem respeito à integração entre as ideias de infraestrutura, arquitetura e cidade, enfocando temas como obsolescência programada, mutabilidade, crescimento e indeterminação funcional.

 

Francisco Vieira de Campos e Cristina Guedes, Menos é Mais Arquitectos. Menos é Mais Arquitectos é o escritório criado no Porto, em 1994, por Francisco Vieira de Campos (Porto) e Cristina Guedes (Macau).  A capacidade de fazer mais com menos é o seu lema, procurando equilibrar a “economia” de meios com a “riqueza” na materialidade e no envolvimento emocional dos utentes. As suas obras são uma resposta pragmática a contextos específicos. Estes princípios são visíveis desde as primeiras obras ao Projecto de recuperação da Quinta do Vallado, e no Arquipélago Centro de Artes Contemporâneas, na ilha de S. Miguel, nos Açores (uma co-autoria Menos é Mais com JMR). “Mediante uma incansável experimentação, transformaram-se numa espécie de engenheiros militares, evocando a melhor tradição portuguesa, começando sempre pelo mesmo pragmatismo poético.” Nuno Grande.

CG leciona na USI – Accademia di Architettura di Mendrisio e na FAAULP. FVC leciona na FAUP e na Escola de Arquitectura da Universidade de Navarra, em Pamplona. Foram convidados para conferências, júris, exposições nacionais e internacionais e críticas em várias faculdades como ETH Zurich, TU Wien, Politécnico de Lausanne, entre outras. Muito recentemente foram agraciados em Londres pelo Royal Institute of British Architects tornando-se International RIBA Fellows. Em 2016 receberam o mais prestigiado prémio da Península Ibérica – Prémio FAD – em Barcelona e o prémio BIAU, em São Paulo. Foram ainda shortlist do RIBA International Prize e do prémio Mies Van der Rohe.

 

Inês Moreira. Arquitecta, curadora e investigadora de Pós-Doutoramento na Universidade Nova de Lisboa. Professora Auxiliar Convidada na FBAUP. Co-editora do Jornal Arquitectos desde 2015. Doutora em Curatorial Knowledge [Goldsmiths College, University of London, 2014], Mestre em Arquitectura e Cultura Urbana [Metropolis CCCB/UPC, Barcelona, 2003], Arquitecta [FAUP, 2001]. Programadora de Arquitectura em Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura. Desde 2001, desenvolve actividade profissional em instituições e projectos em Portugal, França, Polónia, Espanha e no Reino Unido.

 

João Paulo Rapagão. Nasce em Lisboa. Desenvolve actualmente a dissertação para Doutoramento em Arquitectura. Licenciado em Arquitectura pela Universidade Técnica de Lisboa em 1988, é Professor Auxiliar Convidado da Universidade Lusíada Norte – Porto desde 1997. Preside ao Conselho Directivo Regional do Norte da Associação dos Arquitectos Portugueses e da Ordem dos Arquitectos entre 1996 e 1998. Integra o Conselho de Administração da Fundação para o Desenvolvimento da Zona Histórica do Porto entre 2000 e 2002. Integra ainda júris em Concursos Públicos e Prémios de Arquitectura Nacionais e Regionais. Exerce arquitectura desde 1988, principalmente estudos e projectos em monumentos nacionais e equipamentos colectivos. É editor científico e autor do Guia de Arquitectura do Porto 1942|2017 recentemente editado pela A+A Books e curador, com Inês Moreira, do Open House Porto 2018 organizado pela Casa da Arquitectura.

 

Jorge Figueira. Arquiteto pela Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (1992) e doutorado pela Universidade de Coimbra (2009). É professor associado e foi diretor do Departamento de Arquitectura da FCTUC, entre 2010 e 2017. Pesquisador visitante da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (2018) e professor convidado da Escola da Cidade, São Paulo (2018, 2016, 2012). Curador de “Físicas do Património Português. Arquitetura e Memória”, Museu de Arte Popular (2018/2019). Tem livros publicados, artigos em várias revistas e fez apresentações em várias instituições.

 

Luciano Andrades. Nascido em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Graduado pela faculdade de Arquitetura da Universidade Luterana em 2001. Professor convidado pela CEDIM – Centro de Estudos Superiores de Desenho de Monterrey, México em 2010 e professor pela FAU UNIRITTER em Porto Alegre, Brasil. Fundador do Studio Paralelo Arquitetos, atualmente é um dos sócios do coletivo binacional MAPA Arquitetos, fusão do studio paralelo com estúdio Maam de Montevideo, Uruguay. A produção do coletivo tem sido objeto de muitos prêmios nacionais e internacionais, além de participações em exposições, conferências e seminários.

 

Luís Santiago Baptista. Arquiteto, investigador e curador, desenvolvendo uma actividade multifacetada, compreendendo a prática profissional, a docência universitária, a crítica de arquitectura, o comissariado de exposições e a edição de publicações. É mestre em Cultura Arquitectónica Contemporânea (FA-UTL) e doutorando em Cultura Arquitectónica e Urbana (DARQ-UC). Foi assistente convidado na FA-UTL e é professor auxiliar convidado na ESAD-CR e na ECATI-ULHT, sendo investigador no LEAU. Foi director da revista de arquitectura e arte arqa (2006-16) e é membro do conselho editorial do J-A Jornal Arquitectos (Ordem dos Arquitectos, 2015-19). Foi curador das exposições Geração Z: Práticas Arquitectónicas Portuguesas Emergentes (Ordem dos Arquitectos, 2007-12), “Falemos de casas”… em Portugal (Trienal de Arquitectura de Lisboa 2010),  ARX arquivo (CCB, 2013), Arquitectura em Concurso: Percurso Crítico pela Modernidade Portuguesa (CCB, 2016) e Fernando Guerra: Raio X de uma Prática Fotográfica (CCB, 2017). É co-curador com Maria Rita Pais do projecto Viagem ao Invisível (OASRS / DGArtes, 2016-19).

 

Marcelo Morettin. Marcelo Henneberg Morettin Nascido em 19 de março de 1969, São Paulo, Brasil. Formado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, Brasil, em 1991. Trabalhou nos escritórios de Joaquim Guedes Arquitetos Associados e de Marcelo Fragelli, até formar o escritório Andrade Morettin Arquitetos Associados, em 1997. Lecionou na Escola da Cidade, em São Paulo, em 2010. Mestrando pela FAU-USP, início em 2018.

O escritório, fundado em 1997, desenvolve projetos de arquitetura e de urbanismo nas mais diversas escalas e de naturezas bastante variadas, tanto para o setor público quanto para o setor privado. A conquista de importantes premiações nacionais e internacionais conferiu ao escritório uma considerável projeção e garantiu desde então o encargo de projetos representativos nos mais diferentes programas: residências, edifícios residenciais, comerciais e institucionais, escolas, laboratórios, museus, centros culturais, planos diretores para hospitais, para faculdades e intervenções urbanísticas. Entre os trabalhos do escritório destacam-se: vencedor do Concurso para a expansão da sede do IMPA no Rio de Janeiro (2015), vencedor do projeto urbano com o Instituto URBEM para a Agência Casa Paulista, Governo do Estado de São Paulo (2012), projeto para a nova sede do Instituto Moreira Sales em São Paulo (2012), projeto urbanístico Jardim Lidiane, no bairro do Limão, contemplando reestruturação viária, urbanização de favela com 750 famílias, provisão de novas 240 moradias, renovação de conjunto com 250 famílias, São Paulo (2011); projeto premiado internacionalmente para revitalização urbana da frente ribeirinha em Porto, Portugal (2007); projeto destacado em competição internacional para intervenção urbanística e paisagística na Laguna de Veneza, Italia (2007); projeto premiado para habitação social em concurso Internacional – LIVING STEEL, for sustainable living using steel construction, UIA – Bélgica (2007); projeto finalista no Concurso Internacional de ideias para projetos urbanos, “Building a Sustainable World”, Los Ângeles, EUA (2007); projeto urbano premiado em concurso Internacional, “Zero Latitude – Galápagos”, Bienal de Arquitetura de Quito, Equador (2006); projeto premiado para conjunto de locação social – Conjunto Assembléia. São Paulo (2004); projeto de desenho urbano selecionado no concurso internacional ‘Service Area for the Logistic Activity Zone of the Port of Barcelona’ para o XIX Congresso da Unión Internacional dos Arquitetos, UIA – Barcelona (1997).

 

Marta Moreira. Arquiteta graduada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAUUSP em 1987. Professora de projeto na Escola da Cidade desde 2001 e coordenadora do Conselho Técnico, responsável pela organização dos trabalhos e projetos técnicos de interesse da instituição, desde 2014. Sócia fundadora do MMBB Arquitetos desde 1990.

Principais projetos: Centro Cultural e Recreativo do Esporte Clube Pinheiros, São Paulo, Brasil, 2017; Complexo de Habitação Social Jardim Edite, São Paulo, Brasil, 2008/2012; Auditório e Escola de Música em Campos do Jordão, Brasil, 2009; Reurbanização do Córrego do Antonico em Paraisópolis, São Paulo, Brasil, 2009; Casa City Boaçava, 2004/2008 e Casa Vila Romana, São Paulo, Brasil, 2004/2006; Concurso Nacional Bairro Novo, São Paulo, Brasil, 2004; Escola Pública Campinas F1, Campinas, Brasil, 2003/2004; Garagem Trianon, São Paulo, Brasil, 1995/1999; Sede da DPTO – Propaganda e Marketing, São Paulo, Brasil, 1993/1994; Concurso Nacional de Projetos para o Pavilhão do Brasil em Sevilla, Espanha, 1991.Colaboração com o arquiteto Paulo Mendes da Rocha desde 1995.Principais projetos: SESC 24 de Maio, São Paulo, Brasil, 2002/2017; Museu Nacional dos Coches, Lisboa, Portugal, 2007/2009; Plano Diretor da Universidade de Vigo, Espanha, 2004/2005; Paço Alfândega, Recife, Brasil, 2000/2003; Poupatempo Itaquera, São Paulo, Brasil, 1998/1999; Centro Cultural FIESP, São Paulo, Brasil, 1996; Terminal de Ônibus D. Pedro II, São Paulo, Brasil, 1996.

 

Martin Corullon. Arquiteto e Urbanista e Mestre pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de S. Paulo – FAUUSP, atualmente desenvolvendo doutorado na mesma instituição. Em 2000 funda o escritório METRO ARQUITETOS ASSOCIADOS, no qual realiza projetos de diversas escalas, com ênfase em espaços públicos ou ligados a área cultural. Entre os principais projetos estão a ampliação do Campus do Instituto Tecnológico de Aeronáutica – ITA,  a expografia da 30a Bienal de São Paulo, os projetos expográficos e de renovação do edifício do MASP, incluíndo o redesenho dos Cavaletes de Cristal, a renovação da Ladeira da Barroquinha, em Salvador e a nova sede da Casa Triângulo, importante galeria de arte contemporânea em São Paulo. Desde 1994 tem colaborado frequentemente com o Arq. Paulo Mendes da Rocha [Pritzker Prize 2006], com quem realizou projetos de grande porte, entre eles o Cais das Artes, Museu e Teatro em Vitória, ES. Entre os anos de 2008 e 2009 trabalhou no escritório Foster+Partners, em Londres. É professor na Escola da Cidade desde 2014 e foi eleito membro do Conselho de Arquitetura e Urbanismo, CAU/SP para os anos de 2018 a 2020.

 

Nuno Brandão Costa. Nuno Brandão Costa (Porto, 1970) licencia-se pela FAUP (Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto) em 1994, onde lecciona a Cadeira de Projecto 4 desde 2001 e se doutorou em 2013. Entre 1992 e 1993 faz um estágio curricular com Herzog & de Meuron em Basileia na Suiça, entre 1993 e 1997 colabora com José Fernando Gonçalves & Paulo Providência no Porto e em 1998 inicia a sua actividade na sequência do 1º prémio no Concurso para o projecto da Biblioteca da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

O seu trabalho foi exposto na 8ª Exposição Internacional da Bienal de Veneza em 2004; na Bienal de arquitectura de São Paulo em 2005; “Portugal Now”, Cornell University, Nova Iorque em 2007; “Tradition is inovation” Tokyo em 2011, na Trienal de arquitectura de Milão em 2004 e 2014 e na 2a Bienal de arquitectura de Chicago em 2017. Autor dos projectos expositivos da Trienal de Arquitectura de Lisboa em 2007 e 2016. Nomeado para o prémio “Mies Van der Rohe”, 2008, BSI – Swiss Architectural Award, 2012 e o Prémio FAD, 2017. É-lhe atribuido o Prémio revelação e mérito “Jornal Expresso – SIC”  em 2004, o Prémio Secil em 2008 e o Prémio Vale da Gândara em 2010/2011. Nomeado com Sérgio Mah, curador da Representação Oficial Portuguesa na 16ª Bienal de Arquitectura de Veneza, 2018. Professor convidado na ETSA da Universidad de Navarra; Estudio Barozzi Universidade de Girona; EHL CAMPUS Lausanne.

Critico convidado na Escola de Arquitectura da Universidade do Minho (EAUM), Departamento de Arquitectura da Universidade de Coimbra (DARQ), École Polytechnique Federale de Lausanne (ENAC-EPFL), FAPyD-UNR de Rosário, Università Luav di Venezia (Iuav), Harvard Graduate School of Design (GSD), Cambridge e ETH Zurique. Coordenador e professor do Curso de Estudos Avançados em Projecto de Arquitectura (EAPA 2014/2015) na FAUP. Conferencista em Seminários e Faculdades de Arquitectura na Alemanha, Argentina, Bulgaria, Colombia, Croácia, França, Itália, Macedónia, México, Portugal, República da Irlanda, Espanha e Suíça.

INSCRIÇÃO